O Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem, capítulo III

Escolha da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria
Sinais da Falsa e da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria


Foto: Wesley Almeida| cancaonova.com


Guardemo-nos das falsas devoções. Tenhamos cuidado para não sermos como os devotos críticos, que não acreditam em nada e criticam tudo; os escrupulosos, que temem ser demasiado devotos da Santíssima Virgem, por respeito para com Jesus Cristo; os exteriores, que fazem consistir toda a sua devoção em práticas externas; os presunçosos, que, ao abrigo da sua falsa devoção à Santíssima Virgem, apodrecem nos seus pecados; os inconstantes que, por leviandade, variam a sua práticas de devoção, ou as deixam completamente à menor tentação; os hipócritas,  que entram em confrarias e usam as insignias da Virgem a fim de se passar por bons, e finalmente, os interesseiros, que só recorrem à Santíssima Virgem para ser livres dos males do corpo, ou obter bens temporais.


A Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem

Depois de termos descoberto e condenado as falsas devoções à Santíssima Virgem, é necessário estabelecer em poucas palavras a verdadeira, que é:
1. Interior: Nasce do espírito e do coração;
2. Terna: Faz com que uma alma, recorra a Maria em todas as necessidades, com muita simplicidade, confiança e ternura;
3. Santa: Leva a alma a evitar o pecado e a imitar as virtudes de Maria;
4. Constante: Fortalece a alma no bem, levando-a a não abandonar com facilidade os seus exercícios de devoção;
5. Desinteressada: Não ama a Maria propriamente porque recebe ou espera d'Ela algum bem, mas sim porque ela é amável.

As práticas da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem
Principais práticas interiores

1. Honrá-la com culto de hiperdulia, ou seja, estimá-la acima de todos os outros santos, com sendo obra prima da graça, e a primeira depois de Jesus Cristo;
2. Meditar suas virtudes, privilégios e ações;
3. Contemplar suas grandezas;
4. Dirigir-lhe atos de amor, de louvor e reconhecimento;
5. Invocá-la  com todo o coração;
6. Oferecer-se e unir-se a Ela;
7. Fazer suas ações com o fim de lhe agradar;
8. Começar, continuar e terminar todas as ações por Ela, n'Ela, com Ela e para Ela, a fim de fazê-las por Jesus Cristo.

Principais práticas exteriores

1. Inscrever-se em suas confrarias e ingressar em suas congregações;
2. Ingressar nas ordens religiosas instituídas em sua honra;
3. Publicar Seus louvores;
4. Dar esmolas, jejuar e fazer mortificações em sua honra;
5. Trazer suas insignias como o Santo Rosário ou Terço, o Escapulário, a Medalha Milagrosa ou a Cadeiazinha;
6. Rezar com modéstia, atenção e devoção o Santo Rosário ou o Terço;
7. Cantar e fazer com que se cantem em sua honra cânticos espirituais;
8. Dirigir-lhe genuflexões ou inclinações, dizendo-lhe a cada manhã: "Ave, Maria, Virgem Fiel!", para obter por meio dela fidelidade às graças de Deus durante o dia; E a noite: "Ave, Maria, Mãe de Misericórdia!", para pedir por Ela perdão a Deus dos pecados cometidos durante o dia;
9. Cuidar de suas confrarias, enfeitar seus altares, coroar e embelezar suas imagens;
10. Levar e fazer com que sejam levadas em procissão as suas imagens, e trazer uma consigo, como arma poderosa contra o espírito maligno;
11. Mandar fazer e colocar imagens suas, ou seu Nome, nas Igrejas, nas casas, nas portas e entradas das cidades, Igrejas e habitações;
12. Consagra-se a Ela duma maneira especial e Solene.

Até o próximo post.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Referência aos textos do Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem

O presente blogue apresenta os textos do "Tratado da Verdadeira devoção à Santíssima Virgem" de autoria de São Luís Maria Grignion de Montfort (31/01/1673 - 28/04/1716). Todos os resumos e textos são baseado na tradução do texto original francês.