Maria: o segredo das famílias santas

A devoção a Maria é, comprovadamente, o sinal mais claro de uma família unida e o meio mais eficaz de produzir famílias santas.
 


A graça, como todos sabemos, não destrói a natureza, mas a eleva e aperfeiçoa. Foi por isso que Deus, ao confiar seu Filho único aos cuidados de Maria e José, quis que Nossa Senhora, como toda boa mãe, fosse o centro e o coração da Sagrada Família. A Ela Jesus, com incrível humildade, e José, com castíssimo amor, dedicavam seus melhores afetos e atenções.

A declaração da Irmã Lúcia ao Professor Walsh

Em 15 de Julho de 1946, o historiador católico William Thomas Walsh entrevistou a Irmã Lúcia no convento das Irmãs Doroteias em Vilar, Portugal. Contou o fato no seu conhecido livro Our Lady of Fatima. Esta entrevista demonstra claramente que o pedido de Nossa Senhora da Consagração da Rússia só será cumprido quando o Papa e os Bispos católicos de todo o mundo consagrarem especificamente a Rússia:

“O que Nossa Senhora quer é a Consagração da Rússia”

A Irmã Lúcia explicou por várias vezes: “Nossa Senhora de Fátima NÃO pediu a consagração do mundo, mas sim a Consagração da RÚSSIA”.


Reproduzimos aqui testemunhos de várias entrevistas pessoais com a Irmã Lúcia ao longo de muitos anos, em que ela frisa este ponto repetida vezes:

As condições para a Consagração da Rússia

por Gregorius D. Hesse, S.T.D., J.C.D. (Cand.)

correção do texto Alan Lucas de Lima (gestor do blogue)


1. INTRODUÇÃO

Ouvimos dizer, já há algum tempo, que o Papa iria consagrar o mundo ao Imaculado Coração de Maria no próximo dia 8 de Outubro. Escrevo este artigo em Setembro, não para predizer as ações do Papa em Outubro (não sou nenhum profeta), mas para delinear as condições necessárias para uma consagração correspondendo aos pedidos de Nossa Senhora e as possibilidades do que possa vir a acontecer. Vários fatos que irão ser mencionados já foram amplamente discutidos em números anteriores de The Fatima Crusader, e por isso farei por evitar repetições desnecessárias.



Escrevo este artigo na minha qualidade de teólogo e canonista, mas, com toda a franqueza, devo sublinhar o fato de que, como a mensagem de Fátima é uma das mais claras que já se viram, para muitas das minhas conclusões não é preciso um conhecimento de Teologia, mas simplesmente o senso comum que Deus nos deu, e que, segundo o escritor inglês G.K. Chesterton era o método de S. Tomás de Aquino. Na verdade, pouco mais é preciso do que senso comum para perceber o que está por detrás das mentiras impertinentes e um pouco disparatado e dos truques do Vaticano na sua conspiração para silenciar Nossa Senhora.

A promessa do Triunfo

Neste fim de milênio, que afunda nos pecados mais abomináveis, a celestial promessa de Nossa Senhora nos deve alentar e dar esperança.

Há algo mais, de importância primordial, que motivou a Mãe de Deus a transmitir sua mensagem aos três pastorinhos. É o anúncio da vitória d’Ela sobre o império de Satanás, ou seja, o Reino de Maria, previsto por São Luís Maria Grignion de Montfort e por vários outros santos.

Pedido de Mãe. Ousaremos não atender?


Temos um mundo em paz? O geral das famílias não se encontra muitas vezes em situações difíceis, e lhes falta a paz? Por que então não atender o pedido cujo cumprimento nos traria a paz?

É meu filho…

Filho, nunca se esqueça: aqui você terá sempre sua mãe. Eu lhe amo, como sempre lhe amei e, se precisar não receie em voltar. Meu coração e meus braços estarão sempre abertos para você. Deus lhe acompanhe.

Referência aos textos do Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem

O presente blogue apresenta os textos do "Tratado da Verdadeira devoção à Santíssima Virgem" de autoria de São Luís Maria Grignion de Montfort (31/01/1673 - 28/04/1716). Todos os resumos e textos são baseado na tradução do texto original francês.