Sobre

a Consagração à Virgem Santíssima


Todos os anos, pessoas espalhadas por todo o país iniciam a preparação para fazer ou renovar a sua Consagração Total a  Jesus Cristo, por meio da Virgem Santíssima, utilizando para isso o método de São Luís Maria Grignion de Montfort.


Em 2012 comemorou-se os 300 anos do Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem. Este livro foi escrito por São Luís M. G. de Montfort; meditado pelos santos, e que tem a bela missão de formar os santos de Deus. O Tratado foi o livro de cabeceira do Beato João Paulo II, que também dedicou-se na propagação desta santa devoção e cujo lema pontifical foi "Totus Tuus", ou seja, ‘Todo Teu’, Maria.

Para uma maior sintonia entre aqueles que desejam entregar-se à Santa Mãe de Deus apresentamos algumas informações sobre a Consagração. Leia com atenção e junte-se ao exército de Nossa Senhora:


A Consagração ou sua renovação é um ato particular, porém, a preparação pode ser feita em pequenos grupos.


A Consagração ou sua renovação deve ser feita, preferencialmente, durante a Santa Missa, com a leitura da oração após a homilia ou comunhão.

As pessoas que estarão se Consagrando ou renovando a sua Consagração, nos enviem o nome, e preencha o  formulário. (Formulário: Clique, aqui!)

Quem PODE se consagrar nessa celebração?


Somente aqueles que sozinhos ou em grupo tenham lido o Tratado e se preparado de acordo com o método proposto por São Luís Maria Grignion de Montfort.

Esta é a ÚNICA data possível para a Consagração ou renovação? 


Não. O ideal é que seja feita em uma solenidade mariana, mas não é obrigatório. Aqueles que se prepararam para fazer ou renovar a Consagração no final do ano, sugerimos o período entre o dia 25 de novembro (Solenidade de Cristo Rei) e o dia 12 de dezembro (Solenidade de Nossa Senhora de Guadalupe). Os que se consagrarem nestas datas próximas a 08 de Dezembro (25 de Novembro a 12 de Dezembro), 13 de maio (Dia de Nossa Senhora de Fátima), 27 de junho (Dia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro).

Quem vai somente renovar a sua Consagração deve preparar-se como um iniciante? 


Não. Embora seja salutar a releitura do Tratado, ela não é obrigatória, apenas sugerida. O que se recomenda enfaticamente é que, para a renovação, o consagrado refaça os 30 dias de orações preparatórias.

Quando devo começar as orações preparatórias e onde as encontro? 


 Para quem irá se consagrar ou renovar a Consagração no dia 08 de dezembro, os 30 dias devem se iniciar no dia 08 de novembro. As orações são indicadas no próprio “Tratado” (n. 227-233). As orações de preparação poderão ser baixadas aqui.


Falhei durante os 30 dias. O que posso fazer? Devo me consagrar ou renovar minha consagração? 


A recomendação é que, se falhei alguns dias nas orações (seja por esquecimento ou outro motivo), se prossiga na preparação e que se faça ou se renove a Consagração no dia definido. Em caso de pecado mortal, o recomendado é o que a Igreja prescreve: arrependimento, confissão e reparação. O mau passo ou ato falho pode ser uma arma do Inimigo para impedir que a pessoa entregue-se à essa santa devoção, por isso prosseguir é a orientação.


No dia da Consagração - seja em 08 de dezembro ou na data escolhida - o que devo fazer?

a. Deve-se oferecer um tributo a Nosso Senhor Jesus Cristo e à Virgem Santíssima, em penitência pelas infidelidades cometidas e em sinal da total dependência Deles. Esse tributo pode ser jejum, penitência ou esmola. (conforme nº 232, do Tratado). 


b. Deve-se envergar um sinal físico da Consagração (Tratado, nº 236-242). São Luís sugere usar "pequenas cadeias de ferro", mas evidentemente que este sinal pode ser substituído com algo mais compatível com o estilo de vida de cada um (como uma Medalha da Santíssima Virgem, um Escapulário, uma pequena corrente, um anel…).


c. Deve-se escrever em um papel a fórmula da Consagração, assinar e guardar (a fórmula é chamada de "Consagração de si mesmo a Jesus Cristo, Sabedoria Encarnada, pelas Mãos de Maria" e pode ser encontrada na página 183, da edição da Arca de Maria, na página 281, da edição da Vozes). 


d. Deve estar sem pecado mortal, se confessando no dia ou anteriormente. 


e. Deve comungar (Tratado, nº 231). 


f. Deve-se estar na celebração com veste adequada, de modo a expressar com a roupa “o respeito, a solenidade e a alegria”, como nos orienta o Catecismo da Igreja Católica ao falar da Eucaristia (n. 1387).


Quais são os materiais de apoio disponíveis?

a. Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem" – Versão PDF


b. "Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem" – Versão áudio book


c. "Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem" – (Áudio Book aqui)

d. Aulas do Pe. Paulo Ricardo explicando parte por parte do "Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem" – versão on-line


f. Orações para os 30 dias de preparação. (Material poderá ser acessado aqui)

g. Fórmula da Consagração Total. Tradução do original em francês: Traité de la Vraie Dévotion a la Sainte-Vierge, par le vénérable serviteur de Dieu, Louis-Marie Grignion de Montfort, troisième, Gaume Frères libraires-èditeurs, 1846, pp. 212-215. (Material poderá ser acessado aqui)






Referência aos textos do Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem

O presente blogue apresenta os textos do "Tratado da Verdadeira devoção à Santíssima Virgem" de autoria de São Luís Maria Grignion de Montfort (31/01/1673 - 28/04/1716). Todos os resumos e textos são baseado na tradução do texto original francês.